O que é governança de TI: benefícios, práticas e frameworks

Gestão de TI

O que é governança de TI: benefícios, práticas e frameworks

Renê Chiari
Escrito por Renê Chiari
Faça parte de nossa comunidade

Entre para nossa lista VIP e receba conteúdos exclusivos e com prioridade sobre ITIL4 e gerenciamento de serviços

Se há uma característica que o mercado corporativo atual exige das empresas é a harmonia. O que isso quer dizer? Não falamos apenas do trabalho integrado entre os setores, mas sim de uma condução em prol dos objetivos da empresa. É exatamente disso que a governança de TI trata.

Opa, mas calma lá!

Não são todos os setores que devem, na teoria, conduzir seus processos com os objetivos da empresa em mente? Se essa dúvida lhe chegou à mente em algum momento, saiba que você não é o único.

A verdade é que, por muito tempo, a TI foi vista como um mero braço operacional das organizações. Se você parar para pensar, em muitas empresas, sempre cumpriu um papel muito mais de suporte que efetivamente estratégico.

No entanto, com a Transformação Digital e a convergência das operações para um ambiente digital, dependente do potencial da TI, as coisas mudaram. Essa revolução colocou a TI no topo da cadeia estratégica corporativa. 

Ainda assim, apenas mudar as peças no tabuleiro não é o bastante. Se você, leitor, joga xadrez, você sabe: é preciso ser realmente estratégico. Cada movimento faz parte de uma sequência pensada, visando um objetivo: o xeque-mate — a vitória.

Como no xadrez, a tecnologia é uma experiência completamente estratégica.

O mesmo princípio se aplica ao tema deste conteúdo. Portanto, entender o que é governança de TI é mais do que necessário para que você coloque o setor no trilho do sucesso.

Esse, ainda, é um tema especialmente interessante para quem busca dominar as práticas e frameworks de gerenciamentos de serviços de TI – com foco em certificações ITIL e COBIT.

Que tal embarcar nessa jornada de conhecimento conosco e desvendar tudo sobre o que é governança de TI? Neste conteúdo, vamos explorar a fundo seus benefícios, práticas, frameworks, sua relação com ITIL e COBIT, bem entender como implementá-la na sua empresa.

Bastante coisa, portanto, bora aprender? Continue na leitura conosco!

Opa, quer conferir mais sobre ITIL antes de continuar? É essencial entender tudo sobre o framework ao estudar governança. Clique aqui e confira tudo sobre ITIL.

O que é governança de TI?

Como a TI da sua empresa opera hoje em dia?

O setor é um “amigo” dos outros setores, agindo como mecanismo de suporte às questões tecnológicas e sendo a base para o funcionamento de sua infraestrutura de TI, capacidade de rede, e etc?

Ou ele atua como espinha dorsal do planejamento estratégico, sendo uma capacitadora para a empresa, ativamente criando e gerenciando soluções que impactem nos resultados e, por consequência, nos objetivos do negócio?

É importante entender, pois um deles tem tudo a ver com o que é governança de TI.

Se você escolheu o segundo cenário, acertou em cheio.

Mas afinal, o que é governança de TI?

Bom, trata-se de um mecanismo de controle (e uma extensão de toda governança corporativa, cuja relação explicaremos logo mais). Atua como um “micro-setor” dentro da TI, guiando-o por meio de regras e políticas para que seus processos estejam de acordo com os objetivos estratégicos da empresa.

Uma vez implementada, deve ser abraçada por todos do time de TI, mas também usuários de softwares e sistemas, bem como o pessoal C-Level, como gestores, diretores e auditores.

Como a governança de TI é capaz de garantir esse compliance? Em outra parte essencial da sua aplicação, o PDTI (Plano Diretor de Tecnologia da Informação). Trata-se de um documento completo, que detalha as ações de TI necessárias para que toda empresa esteja em harmonia com a governança.

Com esse arsenal de políticas e boas práticas, a governança de TI pode ser o diferencial dentro de uma empresa. É através da própria governança que os processos de TI são direcionados, bem como o cumprimento das regras estabelecidas é monitorado.

Ou seja, além de atuar na base de um negócio, compondo o fronte estratégico, a governança de TI garante que todas as execuções estejam dentro das diretrizes de segurança da informação.

Sua implementação, no entanto, depende de algumas particularidade. Entre as principais, estão os frameworks.

Agora… Talvez em sua cabeça esteja passando uma dúvida — ou mesmo uma curiosidade. Por que esse balé todo para explicar o que é governança de TI? Afinal, não é a mesma coisa que gestão de TI?

A resposta curta é: não, não é igual — mas é próximo. Está ali, logo ao lado da gestão.

Entenda mais a seguir.

Qual a diferença entre gestão e governança de TI?

Qual a diferença entre gestão e governança de TI?

Você já percebeu como a palavra “gestão” se aplica em vários contextos corporativos? É de um significado profundo, extremamente amplo.

Em essência, trata-se da teoria e da prática por trás do andamento estratégico da empresa: quais seus objetivos e como alcançá-los, definindo diretrizes operacionais e gerenciais para garantir isso.

A gestão se trata do todo.

No caso da gestão de TI, é ela quem busca manter o nível de desempenho dos processos e a satisfação de clientes e usuário, foca na gestão de equipe e promove a Transformação Digital.

É que a governança de TI é como um “anexo” de toda gestão, uma extensão daquilo que é conhecido como Governança Corporativa. Neste caso, o objetivo da governança é alinhar o setor de Tecnologia da Informação com as metas e objetivos da empresa.

Ou seja, guiando o setor para um caminho eficiente em que o uso dos recursos e a criação de novos serviços (lembre-se dessa palavra) auxilie a organização em sua missão.

E o que é a governança de TI nisso tudo, qual a grande diferença?

O aspecto mais legal disso tudo é que, como você deve imaginar, cada empresa possui objetivos diferentes. Por isso, a governança de TI nunca é igual. Ao contrário, trata-se de um tema dinâmico, que busca acompanhar as intenções da empresa.

Afinal, são os objetivos do negócio que guiam suas ações no dia a dia. Uma vez que a governança de TI é implementada, o setor da TI usa todo seu potencial tecnológico, know-how, segue regras e políticas que servem ao planejamento estratégico.

Benefícios da governança de TI

Pois bem, já entendemos o que é governança de TI e sua diferença peculiar do termo “gestão”. Trata-se, portanto, de um assunto bastante específico — mas extremamente relevante — no campo do setor de Tecnologia da Informação.

Agora é preciso entender quais os benefícios da governança de TI para uma empresa.

É bem provável que sua empresa esteja conduzindo projetos com foco digital e tecnológico. Essa é uma boa notícia. A má notícia, no entanto, fica para aquelas empresas que investem em projetos do tipo, mas sem uma governança estabelecida.

Por que?

Segundo um estudo da MIT e Capgemini, que buscou entender os motivos por trás de projetos de inovação digital fracassados entrevistando mais de 1.300 executivos de empresas top, um dos motivos é justamente a governança de TI — na verdade, a falta dela ou sua completa ineficiência.

O foco do estudo foi bem interessante, especialmente para empresas interessadas em alinhar-se com a Transformação Digital. De acordo com os executivos, a falta de uma governança de TI eficaz os manteve longe de aumento o valor de suas soluções para o clientes, bem como de melhorar processos operacionais e mesmo de encontrar novos modelos de negócios.

Em outras palavras, essas empresas estagnaram.

O motivo é simples e nos leva ao objetivo deste tópico: uma boa governança de TI pode guiar a sua empresa para um futuro de inovação constante, melhorias recorrentes e, como fruto disso, possibilitar novos investimentos.

Tudo, é claro, com apoio dos ativos tecnológicos disponíveis e seguindo as metas da empresa.

Seu intuito é, também, criar ferramentas e soluções digitais para uso interno, que melhorem a produtividade de todos setores, além de contribuir com a segurança dos dados.

Uma das vantagens da governança de TI é que trata-se de uma metodologia facilmente mensurável. Seu contato direto com ferramentas digitais traz dados e informações que podem ser utilizadas como insumo para encontrar pontos de melhoria no desempenho.

Assim, é possível, por exemplo, traçar estratégias de aprimoramento da performance operacional de certos setores.

Graças ao olhar aprofundado do time de TI, os gestores terão acesso à uma visão bastante ampla do trabalho exercido, tendo ainda em mãos insights valiosos a operação.

Como a governança de TI impacta na empresa? 3 pontos para conhecer

Como a governança de TI impacta na empresa? 3

Ok, agora você entendeu porque a governança de TI é tão valiosa e quais os seus benefícios, certo? Porém, o que foi dito acima pode parecer um pouco amplo demais. Sabemos que alguns leitores querem que esse seja um conteúdo objetivo — e nós também.

Por isso, para você entender na prática como a governança de TI auxilia na sua empresa, sugerimos continuar a leitura:

Redução de Custos

Com uma operação mais eficaz e centrada nos objetivos da empresa, focada em resultados, é natural que toda parte operacional seja otimizada. Com processos bem estabelecidos, reduz-se os retrabalhos, o que mitiga os custos extras desnecessários.

Além disso, a utilização eficaz de recursos, sistemas e programas, evitando que falhas ou bugs comprometam as entregas. Por fim, reduz-se os desperdícios no TI.

Assim, vale a pena ressaltar, é possível que a empresa concentre-se mais nos seus investimentos.

Mais eficiência tecnológica, operacional e estratégica

Imagine que seu setor de TI organize um catálogo de serviços. Como garantir que todos da organização conheçam-no, entendendo a atuação do setor de ponta a ponta? Com a governança de TI.

A definição e direcionamento dos processos é um ponto muito importante dentro da governança de TI.

Assim, práticas como a priorização de demandas podem ser realizadas com o resultado direto no desempenho operacional e estratégico.

Além disso, a governança de TI busca sempre otimizar as operações. Por isso, é grande aliada da automatização de processos e tarefas repetitivas, contribuindo com a produtividade do time.

No campo estratégico, é importante ainda ressaltar que as ações de governança de TI tem impactos relevantes em outras áreas, como marketing e vendas. Afinal, com mais eficiência operacional, ganha-se em competitividade perante o mercado.

Uma segurança da informação mais precisa

Se a base do trabalho da governança do TI é digital e tecnológico, com certeza a segurança das informações é uma de suas prioridades. É preciso garantir sua integridade e proteção.

Na governança de TI, isso ocorre através da padronização de processos e da definição de políticas verificáveis, bem como regras e boas práticas.

Tamanha inteligência produtiva, com insumos qualificados em mãos, dá ao time de TI um enorme potencial de antecipar-se diante de riscos consideráveis. Assim, a tomada de decisões é mais assertiva, em prol da continuidade das operações e da empresa em si.

Como implantar a governança de TI

Como implantar a governança de TI

Como qualquer implementação corporativa, é preciso seguir algumas etapas antes de efetivamente consolidá-la. Ao aprender o que é governança de TI, é essencial entender esse ponto, pois sua implementação deve ser encarada em três pontos de vista diferentes: a curto, médio e longo prazo.

Neste caso, o intuito de “recortar” o processo é para que, realmente, os pés não sejam trocados pela mão. Afinal, uma boa governança de TI deve acompanhar o ritmo do setor e da própria empresa, entrando em sintonia com sua rotina e seus objetivos.

Portanto, deve seguir etapas muito bem estabelecidas. Confira quais são e como realizar na sua empresa:

Criação de um planejamento estratégico de TI

Como qualquer projeto bem-sucedido, seu início é no papel.  O planejamento estratégico de TI tem como objetivo traçar o caminho mais adequado para que setor atinja seu objetivo.

No caso, neste primeiro momento, é o de alinhar-se ao ritmo do negócio para, futuramente, perseguir os mesmos objetivos e cooperar ativamente na entrega de ótimos resultados.

Através da criação deste planejamento, é possível entender como a TI pode ajudar a empresa a cumprir seus objetivos através da tecnologia. Considere o seguinte:

  • Análise de Ambiente Interno e Externo: é preciso entender e refletir sobre o ambiente interno e externo da TI, coletando dados como pontos fortes, necessidades de melhorias, etc.
  • Definição das Estratégias de TI: é o primeiro passo para a governança de TI, onde são definidas as estratégias que o setor de TI deve ter para alinhar-se com o planejamento estratégico de toda empresa.
  • Plano de Execução: trata-se, basicamente, da documentação das estratégias anteriormente discutidas. Quais ações serão tomadas, quais as métricas consideradas, recursos utilizados, equipe envolvida, prazos, etc.
  • Monitoramento da Execução: acompanhamento das metas e da performance do time.
  • Ajustes no Planejamento: como qualquer planejamento, é preciso de um momento para corrigir algumas rotas e execuções.

PMO: Escritório de Gestão de Projetos

Ok, com tudo isso definido, as dúvidas mais operacionais começam a surgir. Afinal, como que a TI vai atingir os objetivos da empresa? A resposta está no PMO, o Escritório de Projetos (ou de Gestão dos Projetos).

Trata-se de um ambiente organizado, que avalia cada projeto de TI e sua compatibilidade com os objetivos do negócio e também dá o start em sua execução. É o PMO que fica responsável por gerenciar os projetos, monitorando o andamento de acordo com prazo e custos predefinidos.

Catálogo de Serviços

Um pouco antes, pedimos que você gravasse uma palavra na sua mente: serviços. Chegou a hora de entender o porquê!

Nesse momento, com a governança de TI à todo vapor, o setor deve ser considerado como um verdadeiro prestador de serviços para a empresa.

Por isso, o catálogo de serviços é justamente uma compilação dessas soluções, indicando de forma simples como eles ajudam a empresa e quais áreas.

É um catálogo bem objetivo, com nome, características, funções, responsável pela execução, como solicitá-lo, entre outros indicativos.

Sistema de Performance

Como qualquer processo moderno, é preciso mensurar sua performance para validar seu funcionamento ou propor ações de melhorias. A vantagem de um sistema de desempenho baseado em KPIs é que, justamente, é possível analisar as entregas de um ponto de vista puramente operacional.

Afinal, cada indicador está relacionado com o outro, em uma rede intrincada que baseia-se na qualidade das entregas.

Então, quando algo mostra um desempenho aquém do esperado, é possível que o time rastreie exatamente a origem do problema. Dessa forma, além de escalar o crescimento, você facilita a resolução de problemas e agiliza a tomada de decisões, entendendo qual o “dono” do indicador com falha.

Padrões e frameworks de TI

Padrões e frameworks de TI

Certo, todo esse processo acima é realmente necessário, mas não deixa de ser pesado. A aplicação de cada etapa leva certo tempo, bem como a adequação do time e dos processos. No fim das contas, falamos de um bom tempo investido.

Porém, sabemos que as demandas de hoje exigem respostas corporativas ágeis.

Por isso, como último passo da implementação, destacamos os frameworks de processo de TI.

Eles são essenciais para implementar as práticas de governança de TI, pois estabelecem modelos prontos para esse processo transitório. São alguns os frameworks utilizados, alguns mais famosos que outros, também com diferentes focos.

São esses frameworks que fornecem indicadores, métricas e procedimentos a serem realizados para garantir máxima eficácia da governança de TI.

Entre os principais frameworks, ocupam o topo dois bastante conhecidos aqui do blog: o ITIL e o COBIT.

ITIL na Governança de TI

O ITIL é uma das principais abordagens ao ITSM (IT Service Management), o segmento de Gerenciamento de Serviços de TI.

Como falamos aqui no blog, o ITIL é o rei dos frameworks do tipo.

Na Governança de TI, atua como um framework mais voltado para o “público” (nesse caso, os demais setores da empresa), que propriamente para o proprietário dos serviços de TI.

Isso porque o ITIL é um conjunto de boas práticas bastante detalhadas para o melhor gerenciamento dos serviços de TI. Através dele, é possível construir bibliotecas para cada módulo de gestão, organizando todos os processos de governança e facilitando o acesso e a utilização dessas soluções.

COBIT na Governança de TI

Com o COBIT, temos um modelo de trabalho bastante utilizado na governança de TI. Entre os diversos recursos, destacam-se controles de objetivos, de KPIs e metas, mapas de auditorias e ainda guias com técnicas de gerenciamento. 

O COBIT está em sua 5ª versão e tem o objetivo de ser um framework bastante amplo e compreensivo para a governança de TI. Ele cobre a organização de ponta a ponta, possibilitando uma visão mais holística dos processos, bem como criando valor empresarial.

O papel da TI na padronização de processos

O papel da TI na padronização de processos

Você tem ideia do impacto direto de um projeto de TI fracassado? Segundo a consultoria McKinsey, 17% dos projetos de TI acabam se saindo tão mal que, sozinhos, chegam a ameaçar a existência das empresas responsáveis por eles.

E o que causa esse índice tão preocupante?

Lembra lá em cima, que mencionamos o estudo da Capgemini e do MIT? Aquele é um bom indicativo: a falta de uma governança de TI eficaz é capaz de levar empresas ao prejuízo extremo.

A importância de uma correta estruturação da sua TI, implementando as práticas de governança, traz justamente essa segurança que as empresas acima não tiveram. Muito além de arriscar, falamos de ter insumos e capacidade de criar soluções realmente efetivas.

Isso se dá, em muito, pela noção de padronização dos processos que a governança de TI promove dentro da organização.

Etapas, responsáveis, mensuração de resultados, recursos digitais e tecnológicos integrados. Tudo em sintonia (ou seja, seguindo um padrão, um mapa de processos) para entregar o maior valor à empresa.

É por isso que empresas engajadas com o valor que entregam para os clientes e que realmente buscam otimizar o trabalho de seus setores, devem buscar pela governança de TI.

Com o primeiro passo dado, o sonho da padronização de processos se torna realidade e sua empresa cada vez mais pode caminhar rumo a um futuro de sucesso.

Mas… Qual o primeiro passo? A gente explica:

Como posso me especializar em ITIL?

Atualmente, há uma certificação valiosa para profissionais de TI que buscam se aperfeiçoar no assunto.

A certificação ITIL 4 é uma das principais no mundo inteiro para quem trabalha na área e quer se tornar referência em gerenciamento de serviços. Hoje, é possível dizer que o ITIL é um “go-to” da governança de TI.

Com sua nova versão, está totalmente alinhada com as tendências das empresas de hoje — que justamente focam na entrega de serviços.

Assim, com cada vez mais empresas buscando essa transformação em seu core business, cabe aos profissionais com certificação ITIL 4 serem os pivôs dessa mudança.

O programa de certificação ITIL 4 é uma necessidade de organizações que buscam amadurecer e tornar sua governança de TI realidade, pois reúne conhecimentos valiosos para essa execução.

No fim das contas, entender o que é governança de TI, seus pilares e seus benefícios é o início de uma jornada essencial para as empresas de hoje — e que pretendem sobreviver ao amanhã.

Esperamos que o conteúdo tenha inspirado você, profissional, a ser o promotor da transformação da empresa. E você, organização, a entender porque é importante começar essa mudança, trazendo a TI para dentro do seu braço estratégico, logo.

Para finalizar, lembre-se de fazer a sua inscrição na Jornada ITIL 4. Uma imersão única no principal framework de gerenciamento de serviços de TI, para profissionais ou novatos na área, que buscam iniciar sua jornada pela certificação ITIL 4. Confira!

Opa,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre

Rene A. Chiari Tecnologia da Informação ME / ITSM na Prática.

Av. Melchert, 37 – Chácara Seis de Outubro – São Paulo/SP.

CNPJ: 25.072.324/0001-66

Todos os direitos reservados. Termos de uso.

 

Fale Conosco

contato@itsmnapratica.com.br