Odebrecht: O que ela nos ensina sobre COBIT e governança de TI?

A Governança corporativa e o uso do COBIT evitariam a derrocada da Odebrecht?

Se você não esteve em Marte nos últimos meses deve saber sobre o maior escândalo de corrupção que se tem conhecimento no Brasil (talvez no mundo). Vou te contar o que isso tem a ver com o COBIT .

Este caso levantou algumas dúvidas sobre a eficácia dos sistemas anti-corrupção e da própria governança corporativa.

Afinal, uma das maiores corporações do mundo criou um sistema paralelo de fraude e corrupção, liderado pelo mais alto escalão de executivos.

Embora seja episódio vergonhoso, o caso Odebrecht também é uma ótima oportunidade de elucidar conceitos fundamentais e derrubar mitos sobre a sua verdadeira eficácia dos sistemas de governança.

Vamos aos fatos!

A existência de uma Política Interna de Conformidade e um canal para registro de violação do código de conduta não impediu que diversos funcionários e executivos estivessem envolvidos em ações ilícitas, hoje em processo de esclarecimento pela operação Lava Jato.

Em carta enviada aos funcionários da Odebrecht, a diretoria da empresa pediu desculpas pelos constrangimentos que funcionários e suas famílias estavam passando com os depoimentos, afirmando que iriam combater a corrupção com um novo modelo de Governança.

Segundo a Época, elementos do novo código irão incluir uma supervisão mais rigorosa sobre como a Odebrecht se relaciona com seus concorrentes e a proibição expressa de se envolver em práticas anticompetitivas para ganhar contratos ou maximizar poder de mercado.

 

E o que isso tem a ver com o COBIT?

Em linhas gerais, a Governança Corporativa visa proteger os interesses dos donos ou acionistas de uma empresa, quanto a desempenho e conformidade, garantindo transparência na gestão e atendendo as regulamentações de mercado, como é o caso da Sarbanes Oxley (SOX).

Por outro lado, é a Governança de TI que pode contribuir para a confiabilidade dos dados, que garantem a transparência e o controle.

Foi por conta dessa necessidade que o COBIT evoluiu de uma ferramenta de auditoria de TI para um framework de negócio para governança corporativa e gestão de TI.

O COBIT evitaria a fraude?

Olga Pontes, diretora de compliance da Odebrecht e responsável pela reformulação das regras de conformidade, cita que nenhum sistema existente no mundo garante que não haverá corrupção. O que existe são sistemas de prevenção e detecção.

De fato.

Mas uma coisa é certa: o COBIT pode não evitar que casos como da Odebrecht ocorram, mas pode ajudar a estabelecer controles preventivos e criar respostas adequadas para casos assim.

Como TI, temos uma enorme responsabilidade em:

  1. Criar sistemas que dificultem a fraude.
  2. Criar mecanismos de detecção de fraudes (rápidos e efetivos).
  3. Garantir a segurança da informação: a integridade e a confiabilidade das informações para, caso aconteça o pior, estas estejam disponíveis, inclusive para colaborar com as investigações.

Você deseja colaborar com sua empresa e com sua carreira? Aprenda mais sobre Governança de TI e a aplicação do COBIT para a sua realidade.

Queremos te ajudar nisso! Assine a newsletter e nunca mais perca nenhum conteúdo do blog.

[activecampaign form=5]

 

 

About the Author Renê Chiari

Evangelista em Gerenciamento de Serviços. Certificado ITIL® Service Manager, ITIL® Expert, ISO/IEC 20000 Manager e COBIT.

Construiu sua carreira em grandes corporações do ramo de TI e consultorias especializadas, atuando como consultor e instrutor em dezenas de projetos.

É um dos fundadores do ITSM na Prática. Tem dezenas de artigos publicados e é autor do pocket book “ITIL na Prática: Gerenciando Problemas de Infraestrutura e Serviços de TI”.

Leave a Comment: